23 de novembro de 2017

Como eu já contei um pouquinho no post anterior, Grand Cayman é um dos lugares que a gente passa um dia no cruzeiro mas fica com aquele gostinho de quero mais! É um lugar que eu não tenho dúvidas que irei voltar para ficar no mínimo uma semana!

A estrutura turística lá é muito bacana! Existe uma rede hoteleira com vários tipos de hotéis para todos os bolsos. Há resorts caríssimos, mas dando uma pesquisada rápida, você também não tem dificuldade para achar hotéis muito bacanas e com preços aceitáveis. Por exemplo, encontrei nesse link uns resorts três estrelas por 600 reais a diária!

Tem muita opção também de restaurantes e bares para sair a noite e também barracas de praia com uma estrutura muito boa para passar o dia! Quando fui, passei o dia na Tiki Beach como contei no post anterior.

Há várias atividades muito bacanas de se fazer por lá e então Grand Cayman é uma opção bem legal também para quem tem filhos pequenos. Tem passeios imperdíveis, que eu fiquei morrendo de vontade de fazer mas que jamais dariam tempo de se fazer em um dia de parada de navio.

O Stingray City é um desses passeios que irei fazer quando voltar. É uma colônia de arraias, sendo o único lugar do mundo que você pode nadar com elas em seu ambiente natural. O Dolphin Cove é um espaço para interação com golfinhos, mas completamente diferente de muitos que a gente vê por aí (e eu odeio). Nesse local, eles não ficam presos em tanques!!! Há uma espécie de cercado com integração total ao oceano onde os golfinhos vão e vem sempre que quiserem. Olha de demais, gente!

Tem também por lá o Turtle Farm, o “projeto Tamar” deles em que há o cuidado, preservação e educação ecológica voltado às tartarugas marinhas.

Empresas que oferecem todo tipo de mergulho também há várias por lá. A diversidade de peixes e vida marinha do Caribe é absurda, e nas ilhas Cayman é muito possível de apreciar tudo isso. Você pode fazer mergulho com snorkel, com cilindro e tem até opção para aqueles que não quererem se molhar: há um passeio de SUBMARINO (!) para conhecer o mundo subaquático caribenho realizado pela empresa Atlantis Submarine!

E aí, aquela pessoa que com quem você compartilhou o post anterior se animou de te levar? Se não, marca ela de novo aqui para ver se definitivamente você não a convence! rs

Compartilhe com os amigos:
0 comentários

  • Ilhas Cayman – George Town
  • Viagem de Navio – Dicas de Bordo
  • Haiti – Labadee
  • 23 de novembro de 2017

    Ahhh, as Ilhas Cayman! Posso dizer, sem hesitar, que foi um dos lugares mais lindos que já visitei em toda minha vida!

    Como foi o lugar que eu mais amei nas paradas que eu fiz nos Cruzeiros pelo Caribe eu vou fazer dois posts sobre esse lugar. Esse primeiro, contando sobre o meu dia na ilha e esse outro falando da possibilidade (e da minha intenção, rs) de ficar mais dias por lá, para conhecer melhor e mais a fundo a ilha toda!

    A nação Ilhas Cayman é composta por três ilhas: Grand Cayman, Cayman Brac e Little Cayman. O Freedom of the Seas parou na capital George Town, localizada em Grand Cayman, a maior ilha do arquipélago.

    Assim que descemos do navio, já temos uma ótima surpresa! A região do porto é linda e cheia de lojinhas! Muitas delas são isentas de imposto (Duty Free) e há também várias lojinhas de grife. Para quem curte compras, é um super shopping a céu aberto, com o mar maravilhoso do Caribe a sua volta. Mas, como sem dúvidas o meu foco nessa parada era conhecer as belezas naturais desse paraíso, passei rapidinhos por essa parte.

    Nessa parada, optamos por fechar o translado do próprio navio para passarmos o dia na praia mais famosa da ilha: Seven Mile Beach. O preço desse translado provavelmente saiu um pouco mais caro do que se tivéssemos pegado um taxi na saída do porto, porém, a vantagem é que você tem garantia que irá embarcar de volta no navio, independente de qualquer imprevisto na ilha. O navio se compromete a esperar os hospedes que fecharam passeios com eles, e assim você não precisa ficar preocupado em voltar a tempo, que horas tem que pegar taxi, etc. Dessa forma, você realmente passa o dia tranquilo, focado apenas em curtir o dia nesse paraíso natural!

    O ônibus deixou a gente na barraca Tiki Beach. Com uma estrutura muito boa e preços bem bacanas!

    Agora sobre a praia… Como descrever esse paraíso? Mar azulzinho mais-estilo-Caribe impossível, cheeeeeio de corais bem no rasinho que permite você passar o dia olhando as inúmeras espécies de peixinhos coloridos e diversos. Na barraca havia a possibilidade de alugar snorkel por um preço bem acessível! Na praia havia também o aluguel de Stand-Up Paddle, e claramente eu não deixei de aproveitar esse esporte que eu gosto tanto! Lembro que fiquei tão distraída, vidrada e encantada com aquele mar azul e tranquilo, que até tomei bronca do moço de jet ski por estar ultrapassando o limite permitido para StandUp, rs! Realmente foi inesquecível remar naquele paraíso e por isso recomendo muito!

    No fim da tarde, voltamos para o navio, com a certeza de que esse será um destino que eu voltarei em breve! Para conhecer todas as praias e aproveitar a fundo toda a estrutura que descreverei mais no próximo post!!

    Compartilhe esse post com aquela pessoa que você levaria para passar uns dias nesse paraíso.. Vai que essa pessoa se empolga e te anima a te levar logo? rs

    Compartilhe com os amigos:
    0 comentários

  • Haiti – Labadee
  • Como tirar seu Passaporte?
  • Cruzeiro pelo Caribe: Freedom of the Seas
  • 21 de novembro de 2017

    Olá viajantes queridos! Já contei um pouquinho para vocês nesse post que o primeiro cruzeiro que fiz pelo caribe foi a bordo do Freedom of the Seas. Agora vou contar os detalhes sobre a primeira parada do navio nessa viagem linda! O primeiro porto que tivemos a oportunidade de conhecer foi Labadee, a ilha privativa da Royal Caribbean que fica localizada na costa norte do Haiti.

    É uma praia maravilhosa, mar azulzinho típico do Caribe, cheio de recifes de corais e enorme quantidade de vegetação nativa: um verdadeiro paraíso!!

    Apesar de suas belezas naturais serem tão encantadoras, o Haiti é um país que, infelizmente, está sempre em posições altas dos rankings de países mais pobres do mundo. Achei muito interessante pesquisar e ver que a Royal Caribbean paga uma taxa para o governo do Haiti pelo número de turistas que visitam sua ilha privativa. Além disso, a Royal também emprega mais de trezentos moradores da ilha, ajudando a movimentar bastante a economia do país.

    O interessante dessa parada é que por se tratar de uma propriedade da Royal, o almoço é servido na própria ilha e já está incluso no valor do navio. É um churrasco estilo americano com hambúrguer, costelinha e algumas opções vegetarianas 🙂 ! É uma facilidade que a gente só encontra nessa ilha! Se você tiver o pacote de bebidas, você também poderá desfrutar dos drinks em terra firme nessa parada!

    Há inúmeras atrações para se fazer nessa parada. Há passeio de tirolesa (com mais de 120m de altura), montanha russa que passa entre a vegetação, tobogã,  trampolins aquáticos, entre outros. O ruim é que todas essas atrações são pagas à parte, com um valor nada convidativo, o que me desanimou muito de fazer. Dessa forma, então, aproveitei essa parada para curtir as praias da ilha.

    Passei o dia na Adrenaline Beach, a praia logo na entrada da ilha com vários bangalôs e camas com colchão para aproveitar o dia. É uma ótima praia para relaxar e também para mergulhar com snorkel. Recomendo muito levar de casa o seu próprio equipamento para não ter que alugar do navio com os preços que eles costumam cobrar!

    Há a opção também de pegar o trenzinho para dar uma volta na ilha (esse é gratuito), ver a feirinha de artesanato e ir curtir a Nellie’s Beach. Uma praia mais tranquila, centralizada e com menos pedras e corais que a Adrenaline Beach sendo, então, ótima para nadar.

    Gostei muito dessa ilha. É uma ótima porta de entrada para os outros paraísos no Caribe que iria conhecer nas próximas paradas!

    No próximo post vou contar da segunda parada do Navio: a ilha de Grand Cayman, que para mim é o lugar mais lindo que eu já visitei no Caribe até hoje! Não percam!

    Compartilhe com os amigos:
    0 comentários

  • Como tirar seu Passaporte?
  • Planejando uma Viagem de Navio
  • Como tirar o Visto Americano?
  • 21 de novembro de 2017

    Olá queridos viajantes! Vou começar uma série agora aqui no blog para contar para vocês sobre o primeiro Cruzeiro que eu fiz no Caribe. Foi uma viagem maravilhosa de 7 dias a bordo do Freedom of the Seas da Royal Caribbean. Esse navio pertence a segunda maior classe de navios da Royal, a “Classe Freedom”, perdendo apenas para a “Classe Oasis” (já fiz também um cruzeiro na Classe Oasis,  em breve vou contar também!).

    A infraestrutura do Freedom of the Seas é incrível: ele realmente é uma cidade em alto mar! Para vocês terem uma ideia, ele possui três áreas de piscinas: o H2O Zone ótimo para as crianças, piscina para adultos e área de piscina cobertas. Além disso há 10 piscinas de hidromassagem pelo navio. Atividades super modernas e divertidas também não faltam no Freedom. Tem o FlowRider®,  um simulador de surfe muito legal. Tem também Parede de escalada com uma vista mais do que privilegiada, pista de patinação no gelo (com gelo de verdade), campo de minigolfe, cinema 3D e quadra de basquete e volei em dimensões profissionais.

    A alimentação eu já contei um pouco nos posts anteriores sobre a qualidade e variedade de opções que tem em todos os restaurantes do navio, inclusas e a vontade. Além disso, no Freedom tem tembém outras opções de jantar informal e lanches no Johnny Rockets, além do sorvete Ben & Jerry’s. Esses dois são pagos a parte, mas com um valor simbólico. Lembro que na época paguei tipo 5 dólares pelo Johnny Rockets e podia comer tudo que tinha no cardápio, a vontade. Muitas pessoas deixavam de ir conhecer esses restaurantes por serem pagos a parte, mas elas não sabiam que era apenas esse valor simbólico! Vale a pena ir conferir os preços, para algum dia comer uma refeição diferente se você tiver vontade!!!

    O roteiro que fiz nesse cruzeiro foi incrível. Primeiro ele parou em Labadee, a ilha privativa da Royal no Haiti. A segunda parada foi nas Ilhas Cayman, talvez a praia mais linda que já tenha visto na vida. A terceira parada foi em Falmouth, na Jamaica, com praias maravilhosas de se conhecer também. Por fim, ele parou na ilha de Cozumel, onde alugamos um carro para passar o dia na ilha conhecendo algumas praias de lá.

    Essa foi uma viagem realmente inesquecível. Nos próximos posts, eu vou detalhar aqui cada uma dessas paradas e o que nós fizemos em todas elas.

    Compartilhe com os amigos:
    0 comentários

  • Viagem de Navio – Dicas de Bordo
  • Planejando uma Viagem de Navio
  • Ilhas Cayman
  • 14 de novembro de 2017

    Como eu já introduzi um pouquinho no post anterior, eu sou realmente fascinada por cruzeiros!

    Quando eu fico muito tempo sem fazer eu já morro de saudades do clima do navio, das atrações, da qualidade da alimentação, do geladinho do ar condicionado quando você entra, dos shows noturnos e da sensação de que você está vivendo em um mundo paralelo durante o período da viagem! Você tem tudo que você precisa a alguns andares de distância. Você sai para jantar, para ir a espetáculos e depois para balada, sem ter que pegar trânsito ou cruzar a cidade toda para isso (sim, isso talvez seja um trauma de quem mora em São Paulo e encara duas horas de engarrafamento diariamente, rsrsrs).

    Enfim, depois de 5 cruzeiros já de experiência em minha bagagem posso dar algumas dicas para vocês. A primeira dica é: se o orçamento estiver apertado, não hesite em fechar uma cabine interna. Você passa pouquíssimo tempo dentro da cabine e então a janela definitivamente não faz falta. Na verdade, eu até gosto da sensação de escuridão que a ausência de janela traz: você dorme super bem e de manhã você acorda sem saber se é dia ou noite. Você descansa para valer!

    Assim que você fizer o check in no navio, você receberá o seu “Sea Pass”. Trata-se da única coisa com a qual você deverá se preocupar nos próximos dias, rs! Ele é tanto a chave do seu quarto, quanto seu cartão de consumo a bordo e também é seu documento de identificação para entrada e saída do navio nos portos de parada. Muitas pessoas levam um crachá para deixa-lo pendurado no pescoço o tempo todo para não perdê-lo e nem esquecê-lo nos lugares. É uma boa opção principalmente para as crianças, então, já deixe anotada essa dica hein?

    Sempre me perguntam também sobre como fazer a mala para uma viagem de navio e que roupas devem levar. Em cruzeiros de 7 noites costuma sempre ter uma Festa de Gala, na qual as pessoas vestem as roupas mais formais para cumprimentar o Comandante. É uma festa bacana, mas não deixe de fazer um cruzeiro caso você não queira levar terno e gravata a bordo. Não são todas as pessoas que se vestem tão formais. Algumas pessoas até vão de bermuda e chinelo nesse dia. Não é algo que eu recomendo, pois é claro que acaba destoando um pouco da maioria, mas acho que o importante é estar se sentindo bem. Para homens uma camisa e calça social já é bem suficiente e pra mulheres um vestido mais arrumadinho já fica lindo!

    Na programação do navio, costuma também ter uma festa “do branco” na piscina, então, para não ter surpresa não deixe de levar uma opção de roupa branca! Para as outras noites, roupas mais arrumadinhas, sem muito luxo já são bem suficientes! Friotentos(as), levem casaquinhos pois o ar condicionado do navio é bem generoso, rs!

    Para o dia vai depender muito do tipo de roteiro de navio que você for fazer. Se for roteiro de cidades, leve roupas leves, tênis. Se for roteiro de praia, leve roupas de banho, saídas de praia, chinelo, muito protetor solar e boné. Você pode levar toalhas do navio para passeios externos. Elas não são cobradas, basta solicitar e incluir no seu Sea Pass!

    Eu nunca deixo de levar para o navio roupas de academia também. Acho delicioso acordar cedo e ir fazer uma esteira olhando o mar, rs! Quem segue meu perfil pessoal do instagram (@biadazzani) sabe que eu sou a doida do Crossfit e que não consigo ficar muito tempo sem praticar esportes, suar, rs! Assim, indo pra academia do navio, você dá uma ativada em seu metabolismo para aguentar a infinidade de comida que você irá encarar ao longo do dia, rsrs!

    Sobre a programação do navio, fique tranquilo, pois cada noite você receberá em sua cabine o “Cruise Compass”, uma espécie de jornalzinho e planner com todas as atrações e horários para você planejar seu próximo dia a bordo. Com isso, você já fica sabendo que horário será cada atração, qual será o show da próxima noite, qual a festa, qual o traje sugerido. Tenho todos os meus guardados até hoje!!!!

    Enfim, essas são as dicas mais gerais que posso dar. Cuidado: viagem de navio é viciante. Se você fizer uma, vai querer encaixar em todas as suas viagens como eu!

    Nos próximos posts vou contando sobre todas essas viagens que já fiz incluindo esses cruzeiros! 🙂

    Compartilhe com os amigos:
    Comentários Fechados

  • Haiti – Labadee
  • Cruzeiro pelo Caribe: Freedom of the Seas
  • Ilhas Cayman – George Town
  • 9 de novembro de 2017

    Eu sou simplesmente apaixonada por viagem de navio!

    Já fiz várias viagens de cruzeiro em minha vida totalizando 43 dias a bordo em 5 navios diferentes da Royal Caribbean.

    Vou contar um pouco pra vocês como é viajar de navio, o porque eu gosto tanto e como encaixar uma viagem de navio dentro do seu planejamento de viagens!

    Para início de conversa, viajar de navio é um Custo x Benefício excelente para qualquer viajante. Um cruzeiro proporciona a você uma experiência gastronômica incrível, inúmeras atividades de entretenimento a bordo e um conforto digno de um hotel de luxo! Se você for colocar no papel o valor que você gastaria em qualquer cidade grande para: tomar um café da manhã no nível do buffet  do navio, passar o dia em piscinas com atividades e atrações, almoçar de uma maneira super farta, bebidas e drinks numa variedade que eu não sei nem metade dos nomes, jantar com a qualidade do restaurante principal (com entradas, pratos principais e sobremesas dignas de chefs) e por fim ainda ter um espetáculo estilo Broadway, Balada, Shows e Cassino a noite você pode ter certeza que em um dia você gastaria bem mais do que as 7 noites de cruzeiro.

    Além de toda essa experiência única que o navio por si só te proporciona, você ainda pode conhecer vários lugares diferentes que dificilmente você tiraria férias para conhecer esses lugares! Claro que você acaba não passando muito tempo nas paradas, mesmo que o navio chegue bem cedo no porto e saia bem tarde. Mas é interessante para você pelo menos passar um dia diferente, dar uma pincelada naquele lugar e muitas vezes depois incluir uma viagem exclusiva para ai sim desbravar mesmo esse roteiro. Isso aconteceu comigo, por exemplo em St. Marteen, uma ilha caribenha incrível. Passei um dia inteiro lá, conhecendo várias praias, e depois disso, esse destino subiu na minha lista de lugares para voltar e passar no mínimo uma semana.

    Em grande parte das férias que eu planejo, eu tento de alguma forma encaixar um navio no meio do roteiro. Já fiz uns roteiros que ficaram fantásticos e tenho outros em mente para futuras viagens. Um desses que eu já fiz (com dois roteiros e navios diferentes, rs) e é bem clássico é o de incluir um cruzeiro pelo Caribe saindo de Orlando ou Miami quando você for para a Flórida conhecer a Disney! Vou contar sobre esses dois navios do Caribe nos próximos posts!!!

    Outro roteiro que eu consegui incluir um cruzeiro e que também irei contar futuramente em detalhes foi um de sensacional de 30 dias de férias sendo 15 dias turistando na Europa e 15 dias de cruzeiro de travessia para o Brasil, saindo de Barcelona na Espanha e chegando em Santos. Esse foi realmente incrível e eu recomendo muito!

    Outros três roteiros que eu tenho nos meus planos, que pretendo fazer em breve e que podem ser exemplos para te ajudar a se inspirar são:

    • conhecer a Costa Oeste dos Estados Unidos (Los Angeles, Las Vegas, São Francisco, etc) incluindo um Cruzeiro pelo Alasca saindo de Seattle;
    • fazer um roteiro bacana conhecendo a Itália mesclando com um Cruzeiro saindo de Veneza para conhecer o mar Mediterrâneo e várias ilhas da Grécia;
    • fazer um Cruzeiro de Travessia para o Chile saindo do Brasil e depois aproveitando para fazer um roteiro pelo Chile/Argentina.

    Os outros cruzeiros que eu já fiz foram 7 noites saindo de São Paulo e indo para a Argentina (com 2 pernoites por lá), passando por Montividéu e Punta del Leste, e outro de 7 noite também saindo de São Paulo e indo para Salvador, passando por Búzios, Ilha Grande e Ilha Bella.

    No próximo post vou contar um pouco mais da experiência a bordo de cruzeiros da Royal Caribbean, e ao longo da história desse blog vou contando detalhadamente cada uma dessas viagens! E você? Também é um fascinado por navio? Se você ainda não fez, não deixe de fazer um Cruzeiro. Não tenho dúvidas que será inesquecível, você irá adorar e vai querer fazer muitos outros depois do primeiro!

    Compartilhe com os amigos:
    Comentários Fechados

  • Ilhas Cayman
  • Viagem de Navio – Dicas de Bordo
  • Haiti – Labadee
  • 3 de novembro de 2017

    E ai viajantes!!! No post anterior eu expliquei direitinho para vocês como tirar o passaporte para começar a planejar sua viagem internacional! Porém, é preciso ficar atento pois para alguns países, como no caso dos Estados Unidos, além do passaporte é necessário também um visto! Nesse post, eu vou então explicar para vocês detalhadamente como se faz para tirar o visto americano, sem dificuldades e sem precisar contratar nenhuma empresa para te ajudar a fazer isso! Vamos juntos?

    Primeira coisa importante para falar é que você jamais compre a passagem aérea para sua viagem para os Estados Unidos antes de ter o visto em mãos. No próprio site de emissão do visto eles deixam bem claro que não se deve fazer isso pois existe a possibilidade do visto ser negado! Então, para não ter dor de cabeça e nem perder dinheiro, já esteja com toda a documentação em dia antes de pesquisar passagens, beleza?

    Bom, então vamos lá! Para iniciar o processo de solicitação do visto, você deve estar com seu passaporte atualizado e em mãos. Caso você ainda não tenha o passaporte e tenha dúvidas de como emiti-lo, eu expliquei tudinho nesse  post . Agora, o passo a passo para solicitação do visto:

    1. Primeiramente você deve preencher o formulário DS-160 disponível no site oficial de solicitação do visto acessando esse link. Preencha com MUITA atenção pois grande parte dos vistos negados ocorrem por erros no preenchimento.

    1. Depois de preenchido, você deve entrar nesse outro site .Nesse site, você deve incluir o número do seu formulário DS-160 preenchido, para pagar a taxa de emissão do visto (160 dólares). Depois disso, nesse site você segue as instruções e agendar duas datas:

                    – a primeira para ir no CASV (centro de apoio ao solicitante de visto) e

                    – a segunda para a entrevista no Consulado Americano.

    1. No dia de ir no CASV você deve levar os documentos necessários que são: o passaporte, a confirmação de preenchimento do formulário DS-160 e a confirmação do agendamento da data do CASV. Você deve chegar com antecedência do horário agendado e lá você irá tirar a foto oficial e recolher as impressões digitais.
    2. Na segunda data agendada é o dia de ir na entrevista no Consulado Americano. Nesse dia você deve levar toda a documentação que prove o seu vínculo com o Brasil, justificando que você não tem interesse em imigrar para os EUA. É interessante levar contrato de trabalho, comprovante de residência, etc. Eles podem ou não pedir essa documentação, mas é importante você ter tudo em mãos. Nesse dia, você irá responder algumas perguntas explicando o porquê você quer ir para os Estados Unidos, que local você quer conhecer, quanto tempo você pretende ficar.
    3. No final da entrevista você já será informado se seu visto foi aprovado ou não. Caso positivo, em 10 dias úteis ele estará pronto!

    Muito simples, né gente? Prestando bastante atenção e seguindo todas essas informações você não terá problemas para ter seu visto aprovado e em breve ir passear à vontade em terras americanas! Boa sorte, e se tiver dúvidas é só me chamar!

    Compartilhe com os amigos:
    Comentários Fechados

  • Bem Vindo ao Nosso Blog de Viagens
  • Como tirar seu Passaporte?
  • Haiti – Labadee
  • 3 de novembro de 2017

    Olá queridos viajantes. No post de hoje vou explicar para vocês como tirar o documento mais importante que todo viajante deve ter: o Passaporte!

    Trata-se da primeira coisa a ser feita antes de planejar qualquer viagem internacional, pois é necessário ter um passaporte com mais de 6 meses de validade. Recomendo sempre tirar com bastante antecedência, pois podem acontecer imprevistos na emissão dos passaportes, como sempre temos acompanhado nos noticiários! Vou escrever aqui um passo a passo para vocês verem como é simples, e como não vale a pena deixar para última hora!

     

     

    1.  Antes de iniciar o processo de solicitação do passaporte, verifique se você possui todos os documentos originais necessários:
      •     – Documento de identidade
      •     – Título de eleitor e comprovante da última votação (ou justificativa)
      •     – Documento de quitação do serviço militar (para homens)
      •     – Passaporte anterior válido para casos de renovação
      •     – CPF
      •     – Para casos de Naturalizados brasileiros, indígenas, menores de 18 anos, e situações em que ocorreram mudanças no nome, todas as informações detalhadas estão nessa página do site da Polícia Federal. 
    2. Estando com toda a documentação em dia, entrar no site da Polícia Federal (use esse link) e preencher o formulário igual ao da foto ao lado. 
    3. Depois disso, será emitido um boleto e você deve pagar a taxa (R$257,25) que eles chamam de GRU – Guia de Recolhimento da União.
    4. Após a confirmado o pagamento (que pode demorar de 2 a 3 dias), você deve agendar um dia e horário para comparecimento em um dos postos da Polícia Federal. O link para a página de agendamento é esse.

    No dia agendado, você deve comparecer com antecedência no posto da que você selecionou levando os documentos necessários e também o comprovante de pagamento da taxa GRU. Lá, você será atendido bem rapidamente, irá tirar a foto oficial e eles recolherão todas as suas digitais.

    Depois disso, basta aguardar o prazo de emissão do passaporte que costuma ser de 6 dias úteis, mas como eu disse, imprevistos podem acontecer e então não conte com esse prazo, ok?  Depois de pronto, você deve retornar até o mesmo posto da PF para retirá-lo. Simples assim!

    Atualmente o passaporte passou a ter validade de 10 anos, e então você ficará bastante tempo sem se preocupar com isso novamente!

    Bora fazer uma viagem internacional agora e começar a encher de carimbos esse passaporte novinho?

    Compartilhe com os amigos:
    Comentários Fechados

  • Bem Vindo ao Nosso Blog de Viagens
  • Haiti – Labadee
  • Como tirar o Visto Americano?
  • 27 de outubro de 2017

    Tá. Conseguimos chegar em Jeri, nos hospedamos, e agora? O que fazer? Rsrs. Vou contar nesse post aqui para vocês algumas opções muito boas de passeios e restaurantes por lá!

    Passeios

    Caminhar pelas ruas de Jeri, já é um passeio por si só. As ruas são todas de areia, assim como os restaurantes. É muito bacana você estar sentado num restaurante chique da cidade, com o pé na areia já que não tem nada asfaltado por lá! Faz parte do encanto e do charme de Jeri.

    Para realizar os passeios em Jeri, e conhecer os pontos turísticos, a maioria das pessoas alugam um buggy e contratam um guia para as levarem para os passeios. Outras acabam fechando os passeios com empresas que as levam de vans e excursões! Ambas opções são bem interessantes. A primeira te dá mais liberdade e flexibilidade de horários, pois o guia passa o dia com você, mas nesse caso você terá que pagar o valor do buggy e a diária do guia. A segunda opção é mais em conta, mas você fica preso aos horários do grupo.  

    No nosso caso, como a gente estava com o carro alugado em Jeri, já que tínhamos contratado um guia para fazer a travessia para a gente (como contei nesse post), nós optamos por fechar um pacote com esse mesmo guia e fazer todos os passeios usando o nosso carro alugado. Fechamos com ele dois dias inteiros de passeio e o traslado da volta. Ficou algo em torno de R$500,00 que era mais ou menos o valor do aluguel do buggy.

    Achei que valeu muito a pena!! Além disso, foi uma experiência muito engraçada e nova andar com um carro comum pelas dunas… Jamais imaginei que isso seria possível. O esquema era esse: ele murchava todos os pneus, deixando uma calibração baixíssima, e no final ele brincava que conseguia transformar um carro comum em um 4×4, rs… Assim, com isso, estávamos nós em Jeri andando com nosso Classic 1.0 nas Dunas ao lado de buggys que olhavam super assustados para a gente! rsrsrs. Foi bem engraçado! Eu tenho até hoje o contato do guia Bruno. Se alguém quiser, pode me mandar e-mail, ou direct no insta que eu passo!

    Nesses dois dias de passeio ele nos levou para conhecer as mais famosas lagoas de Jeri: A lagoa do Paraíso e a Lagoa Azul. Elas são realmente incríveis. O verde misturado com o azul cristalino da água faz a lagoa parecer o mar do caribe. Nessas lagoas ficam as famosas redes na água em que você pode deitar para relaxar e tirar as fotos clássicas de quem vai a Jeri.

     

    Além desse passeio, o nosso guia levou a gente para conhecer outros cartões postais de Jeri, como a Árvore da Preguiça, a Pedra Furada, a vila dos pescadores soterrada pelas dunas, passeio nos mangues secos e passeio para ver cavalos marinhos! Todos realmente valem muito a pena!

    Nos dias “livres” nós tivemos a oportunidade de passar o dia relaxando e curtindo a praia principal de Jeri. Nós utilizamos a estrutura da Pousada do Capitão Thomaz no Bar e Restaurante Sol. Eles disponibilizam mesa, espreguiçadeiras com colchão, cadeiras e não cobram aluguel por isso, basta consumir! Lá eles tem cervejinha gelada, ótimas opções de comidas e petiscos! Recomendo!

    O por-do-sol na praia principal é um cartão-postal! É uma das únicas praias do Brasil em que o sol se põe no mar e então a tradição é subir na Duna do Por do Sol (localizada a esquerda da praia) e após assistir a esse espetáculo natural, aplaudi-lo!

     

     

    Restaurantes

    A gastronomia de Jeri está cada dia mais evoluída. Sempre surgem novos restaurantes, com novidades e opções maravilhosas.

    Na nossa primeira noite fomos no barzinho com música ao vivo Samba Rock Jeri. Um lugar muito gostoso para petiscar, conversar e sentir mesmo a vibe de praia de Jeri!

    Mas, se você está afim de jantar e comer muito bem eu não posso deixar de recomendar: o Tamarindo! Gente, sério! Que delícia de restaurante! Nunca esqueço do risoto de cogumelos que eu comi. Era realmente excepcional! O preço era um pouco mais elevado, mas valeu cada centavo! Recomendo mesmo!

    No fim da noite, a opção clássica é passear pelo centrinho, tomar um sorvete e fotografar no famoso letreiro: Amo Jeri!

    Compartilhe com os amigos:
    Comentários Fechados

  • Como chegar em Jericoacoara
  • Canoa Quebrada
  • Fortaleza: Beach Park
  • 24 de outubro de 2017

    Olá viajantes! No post passado, eu expliquei detalhadamente as opções para chegar em Jericoacoara. Agora, depois dessa aventura que é conseguir chegar nesse paraíso, nada melhor do que relaxar em um hotel bem bacana e confortável, não é mesmo?

    Hospedagem:

    Elaborei uma imagem com o mapa dos Hotéis de Jericoacoara retirado do Booking para ajudar vocês a se localizarem melhor para escolher a sua pousada.

    Destacados em vermelho estão a Rua do Forró, e a Rua Principal, onde ficam grande parte das lojinhas e restaurantes de Jeri. Também destaquei a Duna do Por do Sol, que é onde provavelmente você irá bater cartão por volta das 16hs da tarde para apreciar o mais lindo espetáculo da natureza!

    Fiquei hospedada em Jeri por 4 diárias na Pousada Naquela Jericoacoara.  Ela está identificado em vermelho no mapa! Amei e super recomendo essa pousada. Como é possível ver, ela fica localizada na parte tranquila da Rua do Forró, a mais ou menos 400m da Praia Principal, onde fica a Duna do Por do Sol. Achei a localização excelente e bastante silenciosa! A pousada é super gostosa, possui uma piscina grande, uma área comum bem bonita e com um jardim incrível. Além disso, a pousada possui redes para descanso em cada uma das varandas, quartos e banheiros bem espaçosos e confortáveis! O café da manhã é uma delícia com tapiocas e omeletes feitos na hora! Os funcionários são super atenciosos e a limpeza da pousada é excelente. Recomendo de olhos fechados!

    Existem também muitas outras pousadas por lá. Tem as mais simples, mas tem também aquelas paradisíacas. Se o seu orçamento estiver – BEM – tranquilo, e se você estiver afim de muito luxo, o hotel mais famoso de Jeri é o Essenza Jericoacoara. Ele possui piscina em todas as varandas e fica localizado bem de frente pro mar. Mesmo que você não fique lá, vale a pena passar na porta para ver que coisa mais linda que é esse hotel. Um dia ficarei nele e virei aqui contar todos os detalhes, hein? 🙂

    Para dar uma olhada nesse mapa, e pesquisar outras pousadas use esse meu link do Booking. Assim eu ganho um bônus e você ajuda o nosso Blog, sem gastar nada a mais com isso! 🙂

    Compartilhe com os amigos:
    1 comentários

  • Morro Branco
  • Canoa Quebrada
  • Viagem pelo Ceará: Planejamento